• 11. 2022 5022 | 11. 2539-9123
  • R. Jarinú, 269 - Tatuapé - São Paulo, SP
  • Envie um e-mail

Ter um Negócio Próprio | Exige empreendedorismo e grande motivação para trabalhar

O mito de que qualquer pessoa pode montar um negócio próprio, continua ativo e causando suas vítimas. Qualquer pessoa pode montar um negócio, no entanto, sobreviver e dar continuidade a ele, com prosperidade, não é uma tarefa simples de ser executada. 

A forte crença deste mito evidência um dos principais motivos que justifica o quadro de mortalidade envolvendo as pequenas e médias empresas no Brasil. O espírito aventureiro das pessoas, a vontade de ser o dono do próprio negócio e ter a liberdade para trabalhar por conta própria é muito perigoso, pode, inclusive, representar o fim de antigos sonhos, construídos ao longo da vida, se não houver determinados critérios na criação e gestão do referido negócio.

Os principais fatores que colaboram decisivamente para a mortalidade das empresas, podem ser resumidos, sem uma ordem lógica, à falta de capital de giro, carga tributária elevada, recessão econômica, problemas financeiros, concorrência muito forte, escassez de clientes, falta de crédito, mão-de-obra pouco qualificada, ponto inadequado, desconhecimento do mercado de atuação, concorrência mais ágil e com preços melhores, desconhecimento técnico e modismo, saque de dinheiro para despesas pessoais, baixo investimento em comunicação, descontroles administrativos e um nível de dívidas bancárias insustentáveis.

A observância destes pontos, sob um referencial mais crítico, precisa ser compreendida como um aviso sobre os sinais de erro a serem evitados para reduzir os riscos de se ter o próprio negócio incluso na estatística das mortalidades empresariais. É preciso que esta reflexão exerça forte influência no agir e pensar.

A gestão de um negócio exige responsabilidade muito maior do que a simples disposição de ser empresário. Tão mais importante do que ela, é a descoberta de oportunidades de negócios sustentada por uma combinação poderosa entre espírito empreendedor e uma grande motivação para trabalhar. A disposição para empreender não é um dom para poucos, como muitos pensam. O caso é que, como ela exige mudanças de comportamento e atitudes das pessoas diante de tudo, nem todos se mostram abertos a assumi-la. E aí começam as diferenças entre o sucesso e o fracasso, numa atividade empresarial.

A principal característica comportamental que um empreendedor precisa ter é o poder de detectar as oportunidades ao seu redor e ter a iniciativa para fazê-las acontecer. A persistência para superar a vontade de desistir que surge no meio do caminho, associada a pontos-chave como o desafio de correr riscos sempre tendo em vista o cálculo de seus limites, o comprometimento com o negócio e a qualidade para atingir a satisfação total dos clientes se possível com os menores custos, são outros elementos fundamentais.

No sentido estratégico, o empreendedor precisa estar sempre atualizado e organizado com as informações que se referem, direta e indiretamente, ao seu negócio. Conhecimento e informação são fundamentais. Metas para o curto, médio e longo prazos, pautadas num planejamento com controle dos trabalhos, também colaboram com o processo.

A independência, autoconfiança e capacidade de liderar, delegando responsabilidades e exercendo com flexibilidade e “jogo de cintura” o comando para influenciar as pessoas a alcançarem os objetivos coletivos, fecham o assunto. Procure deixar um pouco de lado a condição de empresário para focar e desenvolver mais os seus traços de empreendedor, compreendendo e assumindo que o negócio, depois de iniciado, faz parte do seu projeto de vida e não reserva espaço para o amadorismo. Tudo tem que ser profissional.

Mesmo que você não possua todas as características comportamentais exigidas para ser um empreendedor de sucesso, algumas delas certamente você já tem e, às vezes, sequer deu conta. Pense um pouco mais nisto! Para desenvolver as demais, mesmo que de forma gradual no seu dia a dia, sem muita pressa e atropelos, basta um pouco de disposição. Você pode ser um empreendedor de sucesso. Aceitar o desafio depende exclusivamente de você!

Dicas para criar um negócio próprio

1. Defina seu nicho de mercado - é importante empreender em uma área que goste e relacionada a algo que saiba fazer muito bem, que tenha demanda e que naturalmente, gere lucros.

2. Faça pesquisa de mercado - é ideal para saber se sua proposta é lucrativa ou não.

3. Crie uma marca - identifique o conjunto de benefícios, atributos, valores e identidade que representam o seu negócio para gerar resultados positivos.

4. Planeje-se financeiramente - para que você possa cobrir suas necessidades básicas enquanto o negócio não começa a dar lucro.

5. Crie um plano de negócios - é um documento estratégico que orientará todas as ações de sua empresa, antecipando cenários possíveis.

6. Crie um plano de marketing - para divulgar informações sobre seus produtos ou serviços, para comunicar com os clientes e posicionar sua marca.

7. Reúna uma boa equipe - não queira fazer tudo sozinho, conte com uma boa equipe de colaboradores que sejam responsáveis por apoiar diferentes áreas de trabalho.

8. Faça networking - tenha bons contatos, conheça outros empreendedores que possam agregar novos conhecimentos para o seu negócio.

9. Pense em escalabilidade - crie uma proposta comercial escalável, capaz de aumentar suas receitas sem aumentar seus custos na mesma proporção.

10. Registre sua empresa - recolha todos os impostos e realize todos os trâmites jurídicos e administrativos para evitar problemas no futuro.

Edição | BGC | 1905

Últimas Publicações

  • Associações | Atividades sociais, de representação ou de defesa de interesses comuns

    As associações são constituídas pela união de pessoas que se organizem para fins não econômicos, observando-se que não há, entre os associados, direitos e obrigações recíprocas. Ou seja, as associações são pessoas jurídicas de direito privado através da qual, pessoas se congregam objetivando realizar determ.. (continue lendo)

  • Formação de Preços | Constitui-se num dos grandes desafios para as pequenas empresas

    Dentre as inúmeras decisões a serem realizadas por uma empresa, a precificação de seus produtos encontra-se entre as mais importantes e carentes de subsídios. Convivemos com clientes muito mais exigentes em qualidades e com preços competitivos. A tarefa de manter e atrair clientes se constituem nos grandes desafios para qualquer empresa que pretenda atingir seus objetivos orga.. (continue lendo)

  • Empresa Familiar | O processo de sucessão e/ou oportunidade para a profissionalização

    As empresas familiares, independentemente do seu porte, inclusive as micro e pequenas empresas, possuem uma importância significativa no desenvolvimento econômico e social do nosso país. Para sobreviverem elas necessitam de uma boa estrutura organizacional e contar com familiares que estejam interessados em participar do seu desenvolvimento.

    continue lendo)

  • DITR 2019 | Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural

    Por meio da Instrução Normativa RFB 1902, de 2019, estabeleceram-se as normas e procedimentos para a apresentação da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) referente ao exercício de 2019.

    continue lendo)

  • PCMSO | Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

    Todos os empregadores e as instituições que admitam trabalhadores como empregados estão obrigados a elaborar e implementar o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), que tem por finalidade a promoção e preservação da saúde do conjunto de seus trabalhadores, observando parâmetros mínimos e diretrizes gerais est.. (continue lendo)

  • Concessão de Créditos | Análise de risco na concessão de crédito

    Os riscos na concessão de créditos estão presentes no dia a dia da maioria das empresas, principalmente para aquelas que têm como objetivo maximizar seus lucros, no mais alto grau possível. Para isso, seus gestores, além de adotar políticas de otimização da alocação de recursos, redução de custos e incrementos de produtivida.. (continue lendo)

  • Capital de Giro - Dá vida à organização e faz fluir os seus processos

    Também conhecido como Capital Circulante, o Capital de Giro representa em média, boa parte do total de ativos de uma empresa. Ele dá vida à organização, faz fluir seus processos de compra e venda e está diretamente associado às fontes de recursos, das quais a empresa necessita para financiar seu crescimento.

    continue lendo)

Últimas Notícias

Desenvolvido por: TBrWeb