• 11. 2022 5022 | 11. 2539-9123
  • R. Jarinú, 269 - Tatuapé - São Paulo, SP
  • Envie um e-mail

Privatização dos Correios não deve acontecer em 2019

Segundo informações divulgadas pela Telebras, outra estatal que será privatizada, cada projeto poderá levar cerca de dois anos ou mais para análise
Como divulgado pelo Ministro da Economia (ME) Paulo Guedes, o governo anunciou na última quarta-feira (21) a lista das empresas que serão privatizadas. Porém, ao contrário do que foi divulgado, a lista possui nove estatais, não as 17 informadas.

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, as estatais não serão vendidas imediatamente para a iniciativa privada. Elas serão inclusas no Programa de Parceria de Investimentos (PPI). Segundo a Telebras, uma das estatais da lista, a entrega ao PPI "teria a finalidade de estudar alternativas de parceria com a iniciativa privada, bem como propor ganhos de eficiência e resultado para a empresa, com vistas a garantir sua sustentabilidade econômico-financeira".

Paulo Guedes havia comentado que as estatais seriam vendidas ainda em 2019, porém, esse processo será mais demorado. Isso porque, os estudos do PPI devem levar pelo menos 180 dias para serem realizados. "Cada projeto poderá levar cerca de dois anos ou mais para análise", informa a Telebras.

Além disso, como os Correios possuem o monopólio do serviço postal e do correio aéreo nacional, sua privatização deve passar necessariamente pela aprovação do Congresso, isso pode fazer com que o tempo para que a privatização ocorra possa ser ainda maior.

Após o anúncio, o Correios se manifestou em nota em seu site. A empresa disse que "aguardam orientação do seu órgão supervisor, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações". Além disso, eles asseguraram que vão continuar fornecendo os seus serviços normalmente, principalmente no segundo semestre com as entregas das provas do ENEM, de compras da Black Friday e do Natal. 

A privatização escolhida para os Correios

Quando houve o anúncio da privatização dos Correios, muitas dúvidas surgiram sobre o modelo escolhido. Segundo Salim Mattar, secretário especial de Desestatização, Desenvolvimento e Mercados do Ministério da Economia, a escolha deve ficar clara no início de 2020.

Em uma entrevista à rádio CBN, o secretário afirmou que após a inclusão da empresa no PPI, o caso será passado para que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estude as possibilidades para determinar quais as opções mais viáveis para os Correios. "Todas as alternativas serão estudadas pelo BNDES e isso vai demorar um pouco. Vai ficar mais claro no princípio do próximo ano", afirmou Mattar durante a entrevista.

"Vejo hoje uma grande receptividade no Congresso para a venda dessas estatais", disse o secretário após afirmar que, em Brasília, todos têm a consciência de que é preciso reduzir o tamanho do Estado. Além disso, Mattar disse que a sociedade entende a ideia de que o "Estado empresário está com seus dias contados".

Empresas que entrarão no Programa de Parceria de Investimentos:

Após ser previamente divulgada com 17 nomes, a lista divulgada possui nove. Bolsonaro afirmou que a primeira estatal a ser privatizada seria os Correios, mas isso, ao contrário do que foi dito, não deve acontecer neste ano. Confira a lista:

Correios;
Telebras;
Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados);
Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social);
Ceitec (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada);
Codesp (Companhia de Docas do Estado de São Paulo);
Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo);
Emgea (Empresa Gestora de Ativos);
ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias)

Fonte: Olhar Digital | 22/08/2019

Últimas Publicações

  • Concessão de Créditos | Análise de risco na concessão de crédito

    Os riscos na concessão de créditos estão presentes no dia a dia da maioria das empresas, principalmente para aquelas que têm como objetivo maximizar seus lucros, no mais alto grau possível. Para isso, seus gestores, além de adotar políticas de otimização da alocação de recursos, redução de custos e incrementos de produtivida.. (continue lendo)

  • Capital de Giro - Dá vida à organização e faz fluir os seus processos

    Também conhecido como Capital Circulante, o Capital de Giro representa em média, boa parte do total de ativos de uma empresa. Ele dá vida à organização, faz fluir seus processos de compra e venda e está diretamente associado às fontes de recursos, das quais a empresa necessita para financiar seu crescimento.

    continue lendo)

  • Obrigações Federais, Trabalhista e Previdenciária - Setembro/2019

    Esta agenda contém as principais obrigações tributárias do mês de Setembro/2019, de âmbito da legislação Federal, Trabalhista e Previdenciária, na forma de comentários, com ênfase às providências que as empresas devam adotar no cumprimento de suas obriga&.. (continue lendo)

  • Alienação Fiduciária | Modalidade de direito de propriedade com garantia

    A alienação fiduciária é um modelo de garantia de propriedades bastante comum no Brasil, principalmente em negociações de bens móveis e imóveis, onde o bem é adquirido pelo comprador a partir de um crédito pago em prestações (artigos 1361 a 1368-B, da Lei 10.406, de 2002 - Código Civil).

    continue lendo)

  • Contratos de Mutuo | Cálculo e pagamento do Imposto de Renda retido na fonte

    O mútuo é o empréstimo de coisas fungíveis, em que o mutuário (devedor) é obrigado a restituir ao mutuante (credor) o que dele recebeu em coisa do mesmo gênero, qualidade e quantidade (artigo 586, da Lei 12.406, de 2002, Código Civil).

    continue lendo)

  • PPRA | Implantação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

    O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) tem por finalidade a preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, por meio da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente o controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho (Norma Regulamentadora nº 9, NR-9, aprovada pel.. (continue lendo)

  • Demonstração do Fluxo de Caixa | Análise da capacidade da empresa gerar caixa e gerenciar sua liquidez

    Um fluxo de caixa bem preparado é tudo o que um gestor precisa para conduzir sua empresa de forma rentável e, como é bom ver um fluxo de caixa positivo. A Demonstração dos Fluxos de Caixa  (DFC) ajuda os usuários das demonstrações contábeis analisar a capacidade da empresa gerar caixa, bem como sua necessidade para utilizar esses fluxos de caixa.continue lendo)

Desenvolvido por: TBrWeb