• 11. 2022 5022 | 11. 2539-9123
  • R. Jarinú, 269 - Tatuapé - São Paulo, SP
  • Envie um e-mail

INSS: Auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez?

Por mais que as pessoas desejem trabalhar, existem situações que as incapacitam de exercer suas atividades, e é nessa hora que o INSS passa a ser importante na vida da pessoa.

Uma incapacidade para o trabalho pode ser temporária ou permanente, e dependendo da situação uma espécie de benefício é concedido ao segurado, que pode ser o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez.

A aposentadoria por invalidez é devida ao segurado do INSS que for considerado incapaz e insusceptível de reabilitação para o exercício de atividade laborativa que lhe garanta a subsistência.

Muitos se enganam ao pensar que a aposentadoria por invalidez é um benefício definitivo, por lei, a cada dois anos o INSS deve fazer revisão desses benefícios para ver se não houve recuperação, já que existem casos que com tratamento e muito tempo o trabalhador se recupera do problema que no passado o tornou inválido.

Não existe requerimento de aposentadoria por invalidez, o segurado deve solicitar perícia de auxílio-doença, e durante a avaliação pericial, se o médico perito entender que é caso de incapaz sem previsão de reabilitação, será concedido aposentadoria por invalidez, mas a maioria dos casos é concedido auxílio-doença e futuramente, não havendo recuperação, é transformado em aposentadoria por invalidez.

Já o auxílio-doença é um benefício do INSS que é devido ao segurado que ficar incapacitado para o seu trabalho ou para a sua atividade habitual. Para os empregados, só passa a ter direito a concessão do benefício o segurado que ficar mais de 15 dias afastados, até 15 dias é responsabilidade da empresa pagar o salário normalmente, é então a partir do 16º dia que o INSS pode ser procurado para fins de concessão de beneficio.

Se a perícia médica do INSS entender que não há possibilidade de recuperação, o auxílio-doença poderá ser convertido em aposentadoria por invalidez.

A forma como é administrado os pedido de perícia no INSS podem ser alterado a qualquer momento. Atualmente o segurado tem direito a pedir uma perícia inicial, se concedido o benefício poderá pedir duas prorrogações que serão automáticas por 30 dias, caso o INSS não tenha vaga para perícia dentro de 30 dias, e depois uma última pericia que será conclusiva e presencial.

O que acontece na prática é que o INSS esta muito severo nas avaliações da incapacidades, negando muitas vezes administrativamente benefícios que deveriam ser concedidos, assim, se houver indeferimento do pedido, o segurado deve buscar um advogado especialista em direito previdenciário, que lhe indicará o melhor caminho frente ao indeferimento e buscar seus Direitos em relação ao benefício.


Fonte: www.jornalcontabil.com.br - 11/09/2019

Últimas Publicações

  • Concessão de Créditos | Análise de risco na concessão de crédito

    Os riscos na concessão de créditos estão presentes no dia a dia da maioria das empresas, principalmente para aquelas que têm como objetivo maximizar seus lucros, no mais alto grau possível. Para isso, seus gestores, além de adotar políticas de otimização da alocação de recursos, redução de custos e incrementos de produtivida.. (continue lendo)

  • Capital de Giro - Dá vida à organização e faz fluir os seus processos

    Também conhecido como Capital Circulante, o Capital de Giro representa em média, boa parte do total de ativos de uma empresa. Ele dá vida à organização, faz fluir seus processos de compra e venda e está diretamente associado às fontes de recursos, das quais a empresa necessita para financiar seu crescimento.

    continue lendo)

  • Obrigações Federais, Trabalhista e Previdenciária - Setembro/2019

    Esta agenda contém as principais obrigações tributárias do mês de Setembro/2019, de âmbito da legislação Federal, Trabalhista e Previdenciária, na forma de comentários, com ênfase às providências que as empresas devam adotar no cumprimento de suas obriga&.. (continue lendo)

  • Alienação Fiduciária | Modalidade de direito de propriedade com garantia

    A alienação fiduciária é um modelo de garantia de propriedades bastante comum no Brasil, principalmente em negociações de bens móveis e imóveis, onde o bem é adquirido pelo comprador a partir de um crédito pago em prestações (artigos 1361 a 1368-B, da Lei 10.406, de 2002 - Código Civil).

    continue lendo)

  • Contratos de Mutuo | Cálculo e pagamento do Imposto de Renda retido na fonte

    O mútuo é o empréstimo de coisas fungíveis, em que o mutuário (devedor) é obrigado a restituir ao mutuante (credor) o que dele recebeu em coisa do mesmo gênero, qualidade e quantidade (artigo 586, da Lei 12.406, de 2002, Código Civil).

    continue lendo)

  • PPRA | Implantação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

    O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) tem por finalidade a preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, por meio da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente o controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho (Norma Regulamentadora nº 9, NR-9, aprovada pel.. (continue lendo)

  • Demonstração do Fluxo de Caixa | Análise da capacidade da empresa gerar caixa e gerenciar sua liquidez

    Um fluxo de caixa bem preparado é tudo o que um gestor precisa para conduzir sua empresa de forma rentável e, como é bom ver um fluxo de caixa positivo. A Demonstração dos Fluxos de Caixa  (DFC) ajuda os usuários das demonstrações contábeis analisar a capacidade da empresa gerar caixa, bem como sua necessidade para utilizar esses fluxos de caixa.continue lendo)

Desenvolvido por: TBrWeb